sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Uma verdadeira aula de Karate-Do

Por limitações de minha coluna lombar infelizmente hoje não posso mais praticar Karatê. Mas vale a pena descrever o seguinte:

Mas você tem noção do que é uma aula de karatê? Uma aula verdadeira, autêntica e com todos os princípios que envolvem esta arte marcial? Ainda mais: sem pancadaria e sem machucados, só benefícios? Pois então leia este texto até o final. Foi escrito como forma de homenagem a uma das aulas de melhor conteúdo que recebi e não tem pretensões literárias. Apenas um desejo de externar o meu sentimento aos amigos que por algum motivo tenham perdido esta AULA. Com letras maiúsculas mesmo!
                                                                                   
Pois bem, depois de um dia com os afazeres normais do site (Portal Messejana), pela manhã e de uma tarde preparando nossa casa de praia para o aniversário de meu filho Alberto Neto, dia 13 de dezembro, com minha mulher Aliete e com a Aline e Eugênia nos ajudando, via a hora da aula de hoje se aproximar. Conferindo o relógio para não me atrasar, pensava também que iria poupar um pouco minha coluna, que está um pouco complicada, e ter assim um treino normal.  Sou uma pessoa que por contingências da vida trilhou caminhos diferentes. A princípio o caminho da música o qual preservo ainda hoje. Mais adiante o trabalho na área de inteligência, através do qual pude conhecer muitas coisas importantes sobre o nosso país, nossos governos, e conhecer um pouco os problemas que afligem a sociedade brasileira pela própria natureza do trabalho de assessoria prestado ao governo federal, mas isso não vem ao caso. Vamos ao que interessa.  

DEPOIMENTO PESSOAL

Repito: Você tem noção do que é uma aula de karatê? Tive hoje uma experiência que gostaria de comentar e compartilhar com todos aqueles que não desfrutaram desse momento. Portanto estas poucas palavras são um relato pessoal de minha parte e que minha mente não dispensou que eu as escrevesse. E dessa forma compartilho com os internautas que lêem o Portal Messejana e com os amigos da CGK que por algum motivo perderam a AULA de hoje.

Vale dizer que após quase cinco meses que frequento com muito gosto a CGK-DOJO, que é uma academia de artes marciais, obtive melhoras espetaculares, tanto no rendimento físico, em razão dos aquecimentos e alongamentos bem feitos, bem como pelos próprios exercícios e movimentos que o Karatê, no estilo Shotokan, nos oferece. Não somente pelos resultados físicos obtidos, consegui também progressos em todos os sentidos, pela convivência de todos os alunos da CGK, pela sua ordem, respeito, disciplina etc.

O INÍCIO E AS DÚVIDAS

Como tinha ainda resquícios de Judô na memória, desde o tempo em que morava em São José dos Campos, minha cidade natal, em São Paulo, vislumbrei uma possibilidade de praticar karatê. Meu filho Alberto Neto tinha treinado há algum tempo e eu resolvi “enfrentar a parada”.  Perguntava a mim mesmo: “por que um cara como eu ainda vai querer treinar karatê? E a resposta vinha de meu espírito, que me indicava em primeiro lugar uma forma de conviver mais com as pessoas e de exercitar o corpo. E foi assim que iniciei na CGK-DOJÔ. 

OS PROFESSORES ULISSES MOREIRA E ULISSES JÚNIOR

Obtive informações com alguns amigos e observei bastante a sistemática da CGK-DOJO, a qual através de seu Mestre, o Sensei Ulisses Moreira, 4º Dan, nos transmitia passo a passo alguns princípios filosóficos do Karatê e dizia que a CGK-DOJO se voltaria mais e mais para outros aspectos além do preparo para a defesa pessoal e o combate físico. Ou seja, envolvendo além do corpo, a mente e o espírito e ampliando o Dojo para a vida prática de cada um, com todas as situações que nos são impostas no dia a dia. O professor Ulisses Júnior, filho do Sensei, por sua vez, explicava aos iniciantes – e me disse várias vezes, quando eu errava os movimentos - que o karatê se aprende com o tempo – e com MUITO tempo, como forma de não apressar o aprendizado dos movimentos em detrimento da qualidade e das técnicas.


A PRIMEIRA VITÓRIA

Como eu me envolvo de verdade por tudo aquilo que resolvo fazer, com dedicação total, adquiri alguns livros, recebi ajuda de vários amigos e passei a encarar e a pensar no Karatê, não só apenas como forma de melhorar o corpo e minha coluna, mas também de dar uma arrumada em meu espírito, se assim podemos dizer, de forma simples. Mas neste item gostaria mesmo de falar que minha primeira vitória foi a de conseguir trazer meu filho Alberto Neto de volta à prática do Karatê, o que muito me satisfez pelos inúmeros benefícios de toda ordem que esta arte nos proporciona. 


UMA AULA DE KARATÊ COMPLETA

Mas muito bem, chega de falar de como foram meus primeiros meses e vamos chegar logo ao que mais interessa e o real motivo destas palavras: a aula de hoje, dia 10 de dezembro de 2008, com o Sensei Ulisses Moreira.

No início, com todos os alunos em forma e preparados para o aquecimento, recebemos a palavra do Sensei nos informando que a aula seria mais leve em razão de estar um pouco gripado e também pela necessidade de expressar algumas colocações para os alunos. Foi como tudo começou.  Após a reverência inicial, os alunos passaram a ouvir a palavra inspirada do Mestre Ulisses Moreira sobre o real significado do Karatê, segundo preconiza o estilo Shotokan, do Mestre Gichin Funakoshi.  Falou sobre a filosofia da arte, a meditação em si e seus efeitos sobre a mente, o corpo e o espírito, e sobre tudo o que o Karatê pode nos trazer para a vida comum, sobre todos os parâmetros.

A FAMÍLIA E OS VALORES MORAIS

Enfatizou o professor Ulisses Moreira a importância da família e o respeito que todos nós devemos ter para com os nossos familiares e como deve ser o nosso comportamento diante de determinadas circunstâncias que a vida nos apresenta. Para todos, em particular para os mais jovens, destacou o respeito pelos pais, pelos cônjuges, filhos, amigos e por todos aqueles que nos cercam. Reportou-se ainda claramente sobre a perda gradativa que se vê em nossa sociedade, de uma maneira geral, de valores morais existentes há alguns anos, os quais estão se perdendo cada vez mais.

A MEDITAÇÃO E A RELIGIOSIDADE

Entremeando suas palavras e os temas abordados, o Sensei comentou sobre a importância da meditação e da força da mente. Lembrando vários livros e filmes importantes sobre os temas referiu-se à relevância de se pensar positivamente e os reflexos que nossa mente pode nos trazer de uma forma ou de outra. Isto é, se pensamos mal, o mal reflete e volta para nós, ao passo que quando pensamos positivamente e desejamos o bem para nosso próximo o Bem retorna. Várias religiões têm a mesma essência, a mesma filosofia. E independente de nossa religião o Ser Supremo é Deus, Aquele que nos deu a vida e que diariamente deveríamos agradecer pelos benefícios recebidos durantes nossa passagem aqui na terra até o dia de hoje, o dia presente, que na expressão da palavra é mesmo um Presente!

O COTIDIANO E A VIDA MODERNA

Fez comentários ainda sobre outros aspectos da vida moderna, como o uso da Internet, que por um lado propicia conhecimentos incalculáveis, tem que ser bem utilizada. Seu conteúdo necessariamente tem que ser filtrado e os jovens, de modo especial, precisam aprender a fazer essa seleção. E nós, com mais experiência, mais idade, devemos sempre ajudá-los nessa tarefa. 

Sobre os perigos da vida explicou os poderes que a inteligência e a mente podem nos trazer ao discernir quando devemos utilizar as técnicas de defesa do Karatê. Mas principalmente quando NÃO devemos utilizá-las, nos afastando dos perigos iminentes e contendo nossa mente, nosso espírito e nosso próprio EGO de dizer ou de pensar “Eu sou o bom, sei karatê, por isso vou entrar nessa briga”.  Na grande maioria das vezes, ou em sua totalidade, evitarmos os confrontos é a forma mais inteligente de agir.

Sobre este assunto já comentava meu pai, Alberto Ribeiro, uma pessoa que sempre buscou a iluminação, de muita religiosidade e que respeitava e aplicava muito os conceitos da Doutrina Budista e que nos deixou em 2001. Segundo ele: “a briga não traz vantagem para ninguém”. E exemplificava assim: se uma pessoa briga e apanha fica mal, porque apanhou. E se ganha, bate na outra, fica sujeito a uma vingança ou novo embate.

O professor Ulisses teceu comentários ainda sobre o homem e a mulher e os papéis que representam na sociedade, enfatizando as diferenças existentes entre os sexos, que são importantes, no sentido de que cada um - homem e mulher – representa seu papel e os dois se completam. Com o destaque ainda para o sexto sentido que a mulher possui, em razão da sua maior sensibilidade e suas relações benéficas com a mente neste aspecto.

A AULA DO ANO – UM PRESENTE DE NATAL

Pois bem, após estes ensinamentos que se configuraram para mim como um verdadeiro presente de Natal e como a AULA DO ANO, o Sensei Ulisses Moreira ainda nos brindou, pacientemente, com alguns movimentos do Karatê e a importância de os praticarmos, fazendo a comparação entre esses movimentos e as práticas mentais que também temos que exercitar e as quais muitas vezes esquecemos de fazer.

Fica assim expresso o nosso agradecimento ao Sensei Ulisses Moreira pela brilhante aula de Karatê e de experiência de vida que todos precisamos acumular a cada dia.


10 de dezembro de 2008                               

                                                                                         

Nenhum comentário:

Postar um comentário