segunda-feira, 13 de abril de 2015

Outros planos existem e merecem preparo de nossa parte

Alguém tem dúvida de que outros planos existem? Eu não. Com plena convicção de sua existência observo que é imprescindível que haja um preparo espiritual aqui em nossa existência no sentido de facilitar nossa futura grande viagem ou passagem, como queiram. Os  planos espirituais são diversos. E atenção para a palavra de Jesus quando disse: “na casa de meu Pai há muitas moradas”, o que me levou desde o princípio a esta interpretação.   

Há tempos que li um texto que falava de como algumas pessoas comentam alguns assuntos sem a menor base. Dizia o articulista, como exemplo, que para uma pessoa ser um advogado, um engenheiro ou exercer qualquer outra profissão tem que ler muito, estudar, praticar. Da mesma forma ocorre quanto às religiões. Como uma pessoa pode dizer que não acredita em alguma coisa que simplesmente desconhece? E como consegue falar de um tema apenas com a chamada fé-cega? Partindo deste princípio, que achei válido, comecei a ler algo sobre o Espiritismo. Os livros básicos, essenciais. O início para todo leigo, em meu entendimento, seria o Livro dos Espíritos. Depois uma gama de outras obras importantes, o estudo sobre personalidades espíritas que são ou que foram mestres em psicografia, que é a comunicação com os espíritos em outras instâncias.

As curas espirituais praticadas por muitos médiuns são objetos de estudo em várias partes do mundo, inclusive no Brasil. (pessoas com capacidade para receber e encarnar espíritos de outros planos). No mínimo são fenômenos que merecem todo o respeito por parte daqueles que não acreditam.

Com a passagem de alguns parentes e amigos comecei a exercitar uma conversa mental dirigida a eles. O que faço de vez em quando antes de dormir. É unilateral porque nem todos possuem o dom de conseguir transmitir. Mas segundo os espíritas, se você medita e busca o auxílio de seu espírito-guia, também chamado de anjo da guarda, que é o seu espírito protetor, pode conseguir que seus pensamentos sejam repassados a quem você deseja. E assim o faço. Na medida em que vivemos mais sentimos a perda de entes queridos que partiram antes de nós. Não necessariamente estariam todos em um mesmo plano. Nem sabemos se todos se comunicam entre si, mas certamente que podem receber nossas orações e conversas.

Ontem li alguns fragmentos de textos que minha boa mãe escrevia quando ainda estava conosco e acometida de Alzheimer. Muitos pontos lúcidos ainda demonstravam lucidez. Senti muita saudade. Ela dizia sempre para mim “eu gosto tanto de ti”. Sei que está muito bem em algum lugar e que talvez futuramente possamos nos encontrar. Teve uma vida serena, sempre tratou os semelhantes muito bem, cuidou dos filhos e da família de maneira exemplar. Quanto a meu pai da mesma forma, com a diferença que em razão de conversarmos muito mais quando ela ainda estava conosco a presença dele é nítida demais. Quisera eu conseguir apenas um pouco de sua iluminação. Mas tenho consciência que estou longe disso.

Assim vou tentando me aperfeiçoar mais um pouco, mesmo sabendo que estamos em um plano não tão evoluído. Mas todo aprendizado é válido e será muito útil para nosso espírito.


(*) João Ribeiro é Analista de Informações do Ministério do Trabalho, aposentado, cargo hoje denominado Oficial de Inteligência na atual Agência Brasileira de Inteligência (ABIN); atuou também na Chefia da Segurança Orgânica, de Informática e da Documentação, na Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Atualmente é Diretor do Instituto Portal Messejana e escreve também em seu blog, o Blog do João Ribeiro, no qual aborda assuntos de interesse geral da comunidade.

2 comentários:

  1. "Com plena convicção de sua existência observo que é imprescindível que haja um preparo espiritual aqui em nossa existência no sentido de facilitar nossa futura grande viagem ou passagem, como queiram." Preparação! Esta é a palavra sábia, amigo! Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. Prezado Dárcio Lira, grato pelo seu comentário. É a pura verdade. Temos que ter essa preparação! Pensei hoje como o meu pai, que nos deixou fisicamente em 2001 mas está comigo todos os instantes, coo agora. Ele procurava sempre se iluminar. Lia muito. Agia corretamente. Deixou muitos exemplos e ensinamentos de vida. Sobre nossa passagem aqui dizia que não tinha medo, mas que iria sentir saudades... E hoje, pensando bem, eu sinto a mesma coisa. Assim, mesmo com muito defeitos, vou procurando me aperfeiçoar. Mas sentirei saudades desta nossa efêmera passagem!

    ResponderExcluir