quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Perdemos a capacidade de nos indignar e os bandidos e a polícia é quem nos ditam regras


Não gostaria de tocar neste tema novamente, mas não resisto. Eu ainda consigo ficar muito indignado. Os brasileiros estão cegos, ignorantes, analfabetos digitais, alienados ou perdendo gradativamente seu poder de reação? Uma parcela foi comprada pelos planos assistenciais e outra, mais consciente, não pode fazer nada face ao quadro político governamental existente. Uma situação lastimável, que cada brasileiro deveria se debruçar para entender e procurar contribuir na questão. Estaríamos dominados?

Violência urbana fora de controle

O país está em plena guerra com a marginalidade, com o narcotráfico e perdendo feio as batalhas. Assaltos, sequestros, roubos a bancos, cargas, automóveis. Os menores de idade são contratados pelos meliantes com mais de 18 anos para “aliviarem sua barra”, nos momentos oportunos. Muitos menores, depois de assassinarem friamente suas vítimas para roubar são presos, mas, por força da própria lei, entregues às casas de recuperação para logo, quando completarem 18 anos poderem sair livremente e com a ficha limpa. Um país que tem uma lei dessas é sério?  

Vi um depoimento de um delegado de Polícia afirmar, inconformado, que as pessoas não deveriam mais procurar a polícia para pedir socorro quando precisassem de auxílio, com relação a furtos, roubos ou assassinatos praticados por menores. Dizia ele que inúmeras vezes colocava indivíduos criminosos na cadeia (menores de idade) para logo em seguida a justiça determinar a sua soltura. E eles sabem disso e se valem da impunidade.

E o Estatuto do Desarmamento?

Resolveu, mas pelo lado contrário! Assegurou aos bandidos que os cidadãos estão desprotegidos sempre! Liberou geral, como se diz. Os caras assaltam, roubam e matam na maior frieza. E ninguém pode fazer nada. Existe lei pior do que esta?

Como o governo quis os nossos “valorosos” políticos, aprovaram o Estatuto do Desarmamento, que significa retirar o direito de defesa de cidadãos de bem que queiram possuir armas em sua residência ou mesmo portá-las. E o governo conta isso como uma vantagem tremenda. Os números mostram o contrário. A violência aumentou, os bandidos se sentem completamente livres para praticar seus crimes tranquilamente, sabendo de antemão que suas vítimas não poderão reagir.

A força da criminalidade aumenta dia a dia – e agora com uma agravante: estão matando policiais! Não temem nem um pouco a força e o poder de polícia e os afrontam todos os momentos. Basta uma pessoa ser identificada como policial para ter sua sentença de morte decretada e executada no mesmo instante.  

E nós, brasileiros, é quem somos os "culpados", segundo as autoridades!

Vocês certamente já ouviram orientações de policiais no sentido de que para o cidadão estar mais seguro deve evitar:

a)     retirar dinheiro em bancos;
b)     andar em seus carros com os vidros abertos;
c)      não conversar nas calçadas de suas casas;
d)     não morar em casas (porque são mais inseguras);
e)     evitar usar relógios, telefones celulares etc.
f)      não usar brincos, pulseiras ou jóias (no caso das senhoras);
g)     evitar ficar parado em pontos de ônibus (na certa querem que o pessoal fique correndo nesses locais);
h)     não fazer caminhadas em parques;

Ora, estão rezando na mesma Cartilha que os marginais estabeleceram

Como o Estado não é capaz de inibir a ação dos meliantes e também não deixa o cidadão se defender, a única maneira é orientar a população para viver em casulos blindados, somente andar com seguranças.

Existem famílias que perderam vários entes queridos em situações provocadas pelo caos na segurança pública. Nas cidades de grande porte caminhões têm suas cargas roubadas nos engarramentos, à luz do dia. Os ladrões arrebentam as cargas, identificam o conteúdo, chamam seus comparsas e simplesmente saem na rua levando totalmente as cargas. Sem que ninguém possa reagir, mesmo porque ninguém pode andar com uma arma no país. É vergonhosa a situação.

Em todos os locais a ameaça é uma constante

E nas residências o trauma é constante: não podemos nos identificar ao telefone por causa dos sucessivos golpes que marginais tentam nos aplicar; abrir a porta para algum pedinte de agia nem pensar; atender a um funcionário que se identifique como de algum órgão do governo também poderá ser uma fria, visto que muitos assaltos têm sido praticados por falsos pesquisadores (do IBGE, das prefeituras etc.).

Mas os impostos aumentam, a energia sobre de preço, a água nem se fala, os índices econômicos pioram, a inflação aumenta, os escândalos são tantos que daria para escrever um compêndio sobre eles e ficaria faltando muita coisa, porque não cessam. Em todos os locais onde haja um órgão governamental, uma prefeitura, uma secretaria, pode chamar a polícia federal que ele achará muitos e muitos desvios e falcatruas.

São medidas urgentes uma mudança radical na legislação, atualização dos códigos processuais, maior controle ministerial com ações de inteligência, maior celeridade da justiça, que na realidade como se encontra passa a ser Injustiça. E, acima de tudo, a derrubada do Estatuto do Desarmamento e aumentar de forma maciça os efetivos das polícias, dos órgãos de inteligência e do Ministério Público, para que haja uma melhora no quadro. Mas para isso um grande empecilho – os políticos, que agora estão se preparando para votar aumento nos próprios salários. 

É o fim do mundo, ou melhor, o fim do Brasil, se este quadro persistir. 


Veja também nas redes sociais:

Nenhum comentário:

Postar um comentário