quarta-feira, 15 de outubro de 2014

A política, o futebol, a religião... E os nossos amigos!


Existem três temas conhecidos que devem ser evitados para que não haja discórdia entre as pessoas, grupos, amigos. São eles a política, o futebol e a religião. Se nós pudéssemos contar com amigos que soubessem ouvir nossas ideias e respeitá-las, da mesma forma que todos devemos fazer a situação estaria resolvida, mas não é bem assim. Mas ninguém se contenta e por vezes surgem os desencontros de ideias que por vezes podem modificar amizades.

TEMAS CONTROVERSOS
 
Torço pelo Ceará Sporting Club, o “vozão”, o mais querido! Mas há muitas pessoas que torcem pelo Fortaleza, Ferroviário e outros clubes. E daí? Cada um tem sua preferência e todos deveriam respeitar a dos outros. Seria tão bom se pudéssemos ir a um estádio e ficar despreocupado com as famosas brigas de torcida, que mobiliza centenas de policiais para conter a selvageria antes, durante e depois de alguns jogos. São cenas lamentáveis que vemos pelo país afora. Parei de frequentar estádios por esta razão, segurança! Mas quando o Fortaleza, principal rival do Ceará, joga com outro clube “de fora”, eu torço por ele! Na boa mesmo. Não consigo desejar um mal para um torcedor adversário. É apenas um esporte, uma disputa em campo, e deve sempre ser encarada como tal, sem ódio!

Conheci um religioso que aceitava conversar e debater comigo sobre temas controversos, abordando a religião. Ele me ouvia, aceitava meus argumentos calmamente, mas não admitia algumas ideias minhas. Nossas conversas eram frutíferas por este aspecto. Em contrapartida quando o assunto se voltava para a política tudo mudava de figura. Aquela pessoa tolerante, boa ouvinte, se transformava e chegava a um ponto que tínhamos que parar a conversa e mudar de assunto. A política partidária o transformava chegando a ponto de transformá-lo em um radical mesmo, chegando até mesmo a ficar agressivo!  

INTERPRETAÇÕES ERRADAS

A interpretação de um fato surge a partir de um conjunto de evidências! Como analista de informações e aprendi a trabalhar com diversas ideias, ao final conseguindo interpretações corretas, baseadas nos fatos reais e verdadeiros, com toda a imparcialidade. Mas isso somente ocorre com um treino específico. No dia a dia as pessoas argumentam e chegam a conclusões simplesmente estapafúrdias, idiotas e sem nexo! E não adianta argumentar com elas. “Acham” simplesmente que são donas da verdade e pronto. Ora, lembro bem que meu pai, com seu brilhante raciocínio e dentro de uma serenidade enorme, dizia: “quando duas pessoas dizem que estão com a razão e estão em lado opostos, uma delas estará errada”. Não é mesmo?

O DIREITO DE PENSAR E AGIR

Então é assim que entendo: todas as pessoas possuem o direito de pensar e de agir conforme o que acha certo. Ter suas convicções. Mas nada impede que de uma forma civilizada uns não possam ouvir as ideias de outros e vice-versa. Eu sei que tenho o direito de me manifestar livremente e de maneira responsável.

Porque existe no mundo afora centenas de conflitos que tem por base princípios religiosos? Esta é a questão! O homem ainda precisa evoluir muito, o que talvez as gerações atuais não alcancem este estágio. Ou mesmo nunca chegaremos a um ponto de evolução a que me refiro. Mas a boa educação sempre nos fará refletir e evitar os confrontos com os mais desinformados ou aqueles que acreditamos estarem no caminho errado em seus pensamentos e ideias.

ATÉ OS CONCEITOS DO BEM E DO MAL “MUDAM”

Obsevem bem: até os conceitos do BEM e do MAL podem divergir em locais diferentes. Onde um ato de matar seu semelhante é considerado um MAL, um crime, em outro local, dependendo da cultura, do contexto, pode ser interpretado como um BEM, um heroísmo! Um homem-bomba, por exemplo, quando destrói e mata seus semelhantes em um atentado, acha que praticou um ato heroico e que, mesmo matando dezenas de pessoas e a si mesmo encontrará o paraíso! A que ponto podemos divergir uns dos outros...

A própria palavra subversão, que no Brasil é empregada para quem desejava transformar nosso regime no comunismo, também é empregada para aqueles, onde regimes comunistas ainda funcionam. Pessoas que em regimes comunistas desejam ter democracia são subversivas! Ou seja: subversivo é toda pessoa que deseja subverter uma ordem vigente, uma estrutura. Sabemos em virtude do que a historia apresenta que o comunismo se autodestruiu na extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Eu particularmente não tenho dúvidas de que o comunismo, além de ser utópico, não é, nem de longe o regime ideal. Se fosse bom mesmo em CUBA os cidadãos poderiam escolher entre ficar por lá ou sair! E não podem ter esta escolha.

UMA POLÍTICA PARTIDÁRIA ENFRAQUECIDA

É estranho saber que na política partidária, a disputa acirrada pelo poder faz com que determinadas pessoas e grupos fiquem de forma contundente se agredindo! Coisa feia, não civilizada... Quando o ideal é que o próprio povo pudesse se manifestar livremente, sem voto obrigatório, para quando em momento oportuno escolher seus representantes. Mas não é assim que acontece.

No Brasil vejo a política partidária muito fragmentada e sem ter o grau de merecimento que deveria. Não há uma fidelidade a partidos, nem ideologias. O que existe mesmo é um grande interesse pelo poder. A classe política está ficando cada vez mais desmoralizada pelos atos de improbidade que cometem muitos de seus representantes!

E a população deste imenso continente chamado Brasil é muito diversa. Há contingentes enormes de pessoas que não conhecem nada, não sabem ler, avaliar, discernir sobre o que está certo e o que está errado. Não entendem nada. Com o voto obrigatório serão compradas pelas promessas em todas as eleições. Este quadro mudará algum dia?

Veja também nas redes sociais:

Nenhum comentário:

Postar um comentário