terça-feira, 25 de novembro de 2014

Melancolia, saudade e boas recordações de um período que não existe mais

A tecnologia me levou hoje novamente ao passado. Não entrei em nenhum túnel do tempo, mas quase... Foram recordações mil, de pessoas, de lugares e de eventos diversos. O que vale ter, por exemplo, gravações de seus filhos quando eles ainda eram pequeninos? As diversas gravações em fitas cassete foram por mim transformadas em arquivos mp3, os quais estão devidamente organizados e com as cópias de segurança feitas (os famosos e salvadores “backups”). Tudo isso me levou para um mundo que existiu, mas que hoje é apenas virtual, lamentavelmente. E a tempestade cerebral que senti me levou a outras derivações, que talvez alguém queira saber...

Pois bem: nesta semana eu pensei em outros temas, outras referências, para deixar de repisar as mesmas batidas. Não encontro alguém para compor comigo ou para simplesmente tocar um pouco. Os teclados, sintetizadores, guitarras e acessórios que possuo estão defasados no tempo. Acho que vou me desapegar deles e adquirir apenas um teclado bem atual para matar a saudade das músicas de vez em quando, mas sozinho sei que é difícil. Mesma coisa que se exercitar em casa, com múltiplos aparelhos de ginástica e com pouca gente para compartilhar.

Pensei ontem em ficar um pouco distante dos jornais, das notícias... Sabe por quê? Simplesmente os noticiosos nos envenenam pouco a pouco com suas notícias ruins de toda ordem. É a seca aqui, são enchentes ali, desmoronamentos. Aí mudam um pouco para furtos e roubos, desvios de recursos, escândalos que se sucedem e que nós sabemos que não vão ser devidamente apurados, sem falar no crescente número de assassinatos no Brasil inteiro, com os menores agindo impunemente, usando drogas, muitas vezes, e a população impedida de pelo menos tentar se defender, usando armas em sua própria casa! Pode isso?  

A tônica de hoje é esta: a vida de antigamente era sem dúvida mais feliz e tranquila, mesmo com as dificuldades inerentes a qualquer época. Um comentário feito por um comerciante me chamou a atenção: ele vai se mudar para outro estado porque não suporta mais a insegurança daqui. Disse que o Ceará “foi feito para os cearenses”. Foi assaltado inúmeras vezes, furtado em sua loja e uma porção de ocorrências desagradáveis. As imagens deste texto foram escolhidas para atenuar o peso das ideias. Expressam a meu ver um reencontro do homem com a natureza de onde veio e para onde irá algum dia.

Já pensei nisso, deixar de morar literalmente enjaulado e praticamente em um cárcere privado. É exagero? Não acho. Temos que nos preocupar nos finais de semana (quando estamos fora de casa) para que não nos roubem. Uma parafernália instalada, com câmeras de vigilância e “proteção”... E monitoramento 24 horas. Será mesmo? Podemos observar nossa casa à distância. Uma preocupação a mais porque se algo vier a ocorrer dificilmente poderemos interferir.

Por outro lado se ficamos em casa o mesmo acontece. Os alarmes ligados, as cercas elétricas idem. Que tristeza de vida insegura. E o pior é que parece que a população brasileira já cansou e parou de se indignar. Foi vencida! O que se vê são pais lamentando perdas bárbaras de seus filhos e pedindo por justiça, que praticamente nunca chega.

Quando sairemos dessa situação? A meu ver, pelos governos e políticos que temos e pelos anos de vida que me restam nunca...



Veja também nas redes sociais:

Nenhum comentário:

Postar um comentário