quinta-feira, 11 de julho de 2013

A violência e a insegurança que se alastram no Ceará e no Brasil inteiro


A vulnerabilidade da segurança em Messejana, Fortaleza e no Ceará
 
A segurança pública chegou aos limites extremos. Nossas casas estão cercadas de grades, de cercas elétricas, de câmeras, sensores e outros equipamentos de segurança. Foram transformadas em verdadeiras “prisões domiciliares de segurança máxima”. Para dar a sensação de segurança pelo menos no lar, para aqueles que podem fazer isso. Mas o que acontece quando saímos de casa? Ficamos totalmente à mercê de bandidos, de assaltantes de celulares (que muitas vezes matam após roubar), de menores de idade bem armados e que podem nos atingir com um tiro a qualquer momento. Existem casas e prédios abandonados, terrenos baldios, que servem unicamente para abrigo de marginais e usuários de drogas. Esses ficam nos locais a espera de uma oportunidade e saem para fazer “suas paradas”, como usado no vocabulário dos criminosos. As rondas de vigilância efetuadas pela polícia diminuíram sensivelmente. As abordagens policiais também. Essas ações, no centro da cidade e periferia deveriam fazer parte das rotinas policiais o que de certa forma inibiria a ação dos bandidos.

Não há mais nenhum “local seguro” para viver

Ao entrar ou sair de um banco você poderá estar marcado para ser assaltado. Da mesma forma os bandidos atacam cada vez mais em restaurantes (arrastões), nas redes de supermercados, farmácias, postas de gasolina, lotéricas   e estabelecimentos comerciais diversos. Muitos comerciantes são assaltados várias vezes e temendo pela vida são obrigados a fechar seus locais de trabalho. Até mesmo assaltos contra profissionais liberais, como dentistas, tem tido um aumento constante. Muitas das ações com uma violência extrema, a ponto de os assaltantes matarem suas vítimas queimadas. Até mesmo em condomínios a segurança também começa a falhar, pela ação cada vez mais audaciosa dos bandidos.

Falta de Planos e Ações de Segurança Pública

O que mais nos admira é que as autoridades da área de segurança sempre apresentam respostas que são “satisfatórias” (somente para eles) porque a população não sente isso. Assim, dizem freqüentemente através da imprensa que os patrulhamentos e os efetivos policiais estão distribuídos de maneira correta e parará parará... E pronto, nada mais! Mas o que acontece não é bem isso. Ao verificarmos a situação facilmente observamos que a criminalidade aumenta em todos os setores: assaltos, roubos, furtos, assassinatos, latrocínios, roubos a bancos, estupros, roubo de carros, de motos, as conhecidas “saidinhas bancárias” etc. Não há tranqüilidade de forma alguma. Nem se pode fazer caminhadas ou exercícios pelas redondezas que você se tornará presa fácil de meliantes.

Ações que demonstrem resultados efetivos

Agora mesmo a polícia ampliou a gama de crimes que podem ser denunciados através da internet, através do Boletim de Ocorrências eletrônico, como é chamado. O fato foi noticiado pela imprensa local. Muito bem, agora podemos denunciar pela net vários tipos de crimes. Mas para que mesmo? Quando sabemos que na maioria das vezes os crimes não são desvendados? Vai ser interessante para a Polícia ter estatísticas melhores a fim de aperfeiçoar seus planejamentos, mas a população necessita mais que isso. Quer ver e se sentir segura em todos os locais. 

No interior do Estado a situação também é crítica

E no interior do Estado? Pensamos que as ações delituosas praticadas no interior do Estado são voltadas mais especificamente para roubo a bancos, pela fragilidade da segurança nas localidades e pouco efetivo policial. Só para falar um pouco no assunto, que mais poderia se transformar em um livro, a segurança “é uma brincadeira”, como se diz. Os bandidos chegam, muitas vezes prendem os policiais, primeiramente, e depois vão explodir as agências bancárias “na boa”. Saem na tranqüilidade, atiram para todo lado, amedrontam a todos, fazem reféns e tudo isso continua sem parar.

A segurança em todo o País

No sudeste do país a coisa ainda é pior... Há uma guerra entre a polícia e o tráfico no Rio de Janeiro. A polícia perde nitidamente. Porque enquanto os bandidos se articulam à vontade, fazem contrabando de armamentos pesados, a polícia fica limitada a licitações, com seus poucos efetivos, coletes à prova de bala (muitos deles vencidos)...

A impunidade no Brasil

A diferença do Brasil para outros países mais avançados se faz principalmente com base na LEI CUMPRIDA. E os governos e parlamentares brasileiros insistem na morosidade quanto à reforma dos códigos, da legislação penal... E o Judiciário, por sua vez, também não pressiona para que a situação mude. O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) precisa ser revisto com urgência. Os “menores de idade”, por exemplo, alguns com até 17 anos e 11 meses e 20 dias, agem de forma ameaçadora. Usam drogas, assaltam, usam armas, matam, tomam motocicletas, violentam e agridem pessoas e passaram a não temer a própria polícia, que não os pode atingir – ou seja, a polícia prende o menor de idade (criminoso), o Delegado autua e a Justiça tem que mandar soltar ou encaminhar apenas para uma instituição – fundação Casa ou similar.

O adolescente apreendido em flagrante, com drogas, é ouvido na presença dos Pais ou responsável ou ainda, na presença do Conselho Tutelar e depois, ele é apresentado ao Ministério Público. A depender do fato, ele poderá ser encaminhado para uma instituição de apreensão de menores ou, liberado sobre a responsabilidade da família e, aguardar o chamado do Juizado da criança e do adolescente, e em audiência haverá decisão ser o adolescente será apenas advertido e encaminhado a programas do governo. Na pior das hipóteses será apreendido e ficará até completar 18 anos, quando retornará para a sociedade com a ficha inteiramente limpa. Está certo isso?

O problema das drogas que se alastra pelo país inteiro

A droga é um dos problemas gritantes no Brasil e as autoridades parecem que estão anestesiadas quanto a isso. Os diferentes tipos de entorpecentes tomaram conta do Brasil, praticamente de Norte a Sul e de Leste a Oeste. Estamos praticamente sendo dominados por uma força grande chamada “crime organizado”. E perdendo a batalha, infelizmente. 
Conclui-se assim que os problemas da violência urbana e das drogas no Brasil merecem um tratamento de urgência.

Um Planejamento de Segurança eficaz é necessário

As forças policiais precisam ser amparadas por melhores equipamentos, treinamento intenso e capacitação dos efetivos, melhoria da remuneração e, acima de tudo, por uma legislação que não proteja menores praticantes até mesmo de crimes considerados hediondos no país. E que gestores federais, estaduais e municipais, aliados aos representantes do povo no Legislativo possam atacar o problema de frente e não apenas se preocupar com temas eleitorais, como se observa hoje em dia. 

Tudo isso poderia ser contornado de uma vez só, se a IMPUNIDADE no país fosse eliminada em todos os setores.  


Veja também nas redes sociais:


Nenhum comentário:

Postar um comentário