sexta-feira, 15 de agosto de 2014

E o Brasil, será que vai mudar algum dia?

VOCÊ GOSTA DA VERDADE, OU NÃO?
Quem não gosta da verdade ou de refletir um pouco sobre o que se passa no Brasil não leia este artigo! Procure diversão em outro segmento da internet, que tem muitos entretenimentos, bobagens e sacanagens em geral (que por sinal é o que atrai milhões de internautas). Não é o meu caso. Mas se você deseja refletir um pouco e exercitar aspectos inteligentes de sua pessoa, prossiga! E se gostar propague as ideias com a certeza de que contribuirá com o país com sua atitude. 

SITUAÇÃO ATUAL – BREVE RESUMO
Estamos atravessando uma época de poucas lideranças confiáveis, de uma movimentação política confusa, de muitos partidos e poucos programas partidários bons e reais, de diversos envolvimentos de políticos em atitudes ilícitas ou no mínimo antiéticas e de falta de confiabilidade popular na justiça, pela impunidade existente, inclusive dos menores de idade infratores, que são protegidos pelo Estatuto do Menor e do Adolescente, o qual, em nossa modesta opinião já deveria ter sido modificado. A morosidade da Justiça e a falta de atualização dos códigos existentes (entre outros aspectos) proporcionam em última análise uma INJUSTIÇA contra a população e resultam muitas vezes na IMPUNIDADE, tão debatida atualmente. 

Alguns indicadores mostram certo avanço em setores distintos, mas nas principais áreas (Saúde, Educação e Segurança), por exemplo, o que vemos são mostras de deficiências enormes que nos fazem sentir em um país muito atrasado... Senão vejamos: 

AVANÇOS & DEFICIÊNCIAS 
A tecnologia que avança no mundo todo está presente no Brasil, não é? Sim, não resta dúvida! Temos aparelhos celulares de última geração, aplicativos que nos trazem soluções de vida incríveis, com várias facilidades. Mas não podemos usá-los, tendo em vista que somos constantemente alvos de ladrões, os quais além de nos roubar muitas vezes tiram nossas próprias vidas!  A própria polícia, por reconhecer o perigo constante e a sua impossibilidade de garantir a segurança dos cidadãos, orienta que não usemos nada que chame atenção, para não andar com celulares, dirigir sempre com os vidros fechados, enfim... Quem é rico pode gastar muito, manda blindar seus carros, sua casa, contrata seguranças particulares e se protege mais um pouco. Por outro lado quem é pobre ou remediado que se vire. E que peça a Deus para ter sorte de não cair na mão de ladrões e no caso de serem roubados que pelo menos não sejam assassinados friamente após ou durante os assaltos, roubos.

O aparelhamento policial, as forças policiais e de segurança pública não conseguem vencer a guerra contra a marginalidade. O país não tem forças suficientes para reivindicar dos países vizinhos leis mais rígidas para a venda indiscriminada de armas e munição de todos os tipos. E esse arsenal chega facilmente às mãos dos criminosos o ano inteiro. E assim fortifica cada vez mais o crime organizado no país. Ou seja, o desarmamento, no Brasil, serve apenas para desarmar legalmente cidadãos que desejam o direito de defesa. Uma pessoa que tem bons antecedentes, nunca se envolveu em ilícitos, tem muita dificuldade para adquirir e manter uma arma para sua própria defesa. Por outro lado os criminosos conseguem e adquirem, logicamente por via ilegal, armamento de tudo que é tipo, inclusive armas que podem (e já o fizeram) abater aeronaves. Fuzis, metralhadoras, atravessam todos os dias as nossas fronteiras e abastecem o poder de fogo dos traficantes. Até quando isso?

Na área da Saúde, recentemente assistimos na televisão várias reportagens sobre a retenção de macas em hospitais, impossibilitando ambulâncias do Serviço de Assistência Médica de Urgência (SAMU) de atuar em seu nobre serviço e obrigando seus condutores e equipes médicas e paramédicas a ficar paralisados em frente aos hospitais esperando a liberação de suas macas... Por que isso? Ora, claro que é pela falta de espaços, de leitos hospitalares, de estrutura hospitalar em todos os sentidos. As macas do SAMU ficam com os pacientes nos corredores dos hospitais a espera de atendimento... Enquanto isso o Brasil gentilmente envia milhões de reais para Cuba, a maior representante da ditadura existente nas Américas, para reformar um Porto. Como se explica isso? Que prioridade é essa? Não consigo entender!!!

AS ELEIÇÕES DE NOVO – SERÁ QUE VÃO MUDAR ALGUMA COISA?

E mais uma vez a população brasileira se vê obrigada a votar! Obrigada, sim, porque no Brasil o voto é obrigatório. Servidores públicos podem ficar sem receber seus salários se não comparecer às urnas. E o restante da população paga multas se não cumprir a obrigação de votar. Defendo que o voto NÃOdeveria ser obrigatório e sim FACULTATIVO. E que entidades educacionais, programas de televisão e outras mídias dedicassem mais tempo no esclarecimento dos problemas. 

Os políticos apareceram agora! Com seus “santinhos”, suas falsas promessas, apertando a mão dos eleitores, comendo pastel e tomando cafezinho em tudo que é lugar, apenas para dizer que está ao lado do povo. “Me engana que eu gosto” como se dizia em um programa de televisão... Antes das eleições são “amigos”, simpáticos, concedem entrevistas, respondem a todos, cumprimentam populares e – pasmem – andam pelas ruas a pé! E depois das eleições “somem”. Poderão ser encontrados no Congresso para produzir quase nada e não votar as leis de interesse do povo, modificar aquelas que necessitam de urgentes mudanças e fiscalizar os gestores para que façam administrações corretas. As benesses vão continuar a existir e até serão aumentadas, as reformas necessárias não vão ser votadas. A mordomia continuará. As faltas ao trabalho durante seu mandatos continuarão, salvo raríssimas exceções. A utilização da máquina pública para interesses próprios (particulares) continuará. 

Por estes e outros motivos a população brasileira que vota se encontra desanimada com as eleições, eu diria, pela falta de opções e pelo descrédito na classe política que tanto nos tem decepcionado e iludido. Até quando o povo vai suportar ou entender isso?

A CRISE DA MORALIDADE
Continuo achando que os fatores acima são muito graves e que, a persistir o sistema atual, continuaremos a ser dominados e nada vai se tornar melhor. Há várias crises no país, mas dentre elas a de moralidade é uma das maiores. 

(*) João Ribeiro é Analista de Informações do Ministério do Trabalho, aposentado, cargo hoje denominado Oficial de Inteligência na atual Agência Brasileira de Inteligência (ABIN); atuou também na Chefia da Segurança Orgânica, de Informática e da Documentação, na Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Atualmente é Diretor do Instituto Portal Messejana e escreve também em seu blog no qual aborda assuntos de interesse geral da comunidade e de outros campos de expressão do poder nacional.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário