quarta-feira, 20 de março de 2013

A Copa do Mundo no Brasil seria uma vaidade brasileira ou é coisa de país pobre para aparecer?

O significado do termo prioridade


Primeiramente gostaria de falar no termo “Prioridade”, que segundo os dicionários, significa “eleger o que vem em primeiro lugar, ou seja, o que mais importa para nós”. Será que isto está acontecendo no Brasil? Acredito que não.

Em todo o território nacional é fácil verificar um elenco de necessidades que estariam em prioridade a uma realização de Copa do Mundo de futebol, com todas as despesas que trará para o País.

Um raciocínio lógico

Vejamos um pequeno exercício de raciocínio: se em vez de construírem “arenas” e estádios pomposos, com toda a infraestrutura necessária, alargamentos de vias próximas, adequações nos transportes, desapropriações e o aumento e exploração de áreas até então desvalorizadas, por conta da Copa do Mundo, se construíssem mais hospitais, postos de saúde, escolas, delegacias e fossem feitos investimentos na área de segurança pública? Para quem estudou um pouco de Lógica é fácil deduzir onde verdadeiramente estão as prioridades nacionais.

Em nosso entender existem muitas prioridades acima do futebol, das quais a população inteira necessita bem mais do que uma copa do mundo. E parece que ninguém fala nisso. Em Brasília são discutidos temas como a tolerância aos gays, aprovação de recursos, e outros diversos projetos não tão importantes como a tragédia da seca no Nordeste, problema que a irregularidade climática nos traz há séculos.

A seca no Nordeste é uma prioridade eterna, acima de qualquer tipo de modalidade esportiva, pois envolve a subsistência das famílias, as criações, as plantações, ou seja, todo um setor econômico primário de uma região. E não se vê uma movimentação política e dos gestores no sentido de ajudar, não só a minimizar os problemas decorrentes da atual seca ou fornecer meios para solucionar definitivamente o problema.

Outras prioridades

Uma política que contemplasse a área de segurança (melhores salários para os policiais, mais equipamentos, investimentos na formação e capacitação) também teria maior prioridade do que uma copa do mundo. Políticas educacionais (todas elas) também com mais prioridade. Por que insistimos tanto na Copa do Mundo? Por vaidade do Brasil ou de governantes?

Custo x Benefício da Copa do Mundo

Batendo na mesma tecla: de que adiantarão enormes estádios construídos, com suas respectivas dívidas de financiamentos por tudo que é lado, se as áreas de saúde, educação, segurança, transportes públicos estarão prejudicadas? Ao afirmarem que o turismo será o suficiente para cobrir os investimentos teremos mais um engano. Os turistas virão para a Copa, gastarão sem dinheirinho aqui no Brasil e voltarão logo para seus países. E nós ficaremos com a limpeza de tudo, com os enormes estádios e – principalmente – com as dívidas para pagar. E o povo brasileiro mais uma vez feliz da vida, porque o próximo “show” será o carnaval ou eventos semelhantes.

João Ribeiro da Silva Neto

Veja também nas redes sociais:

Nenhum comentário:

Postar um comentário