quarta-feira, 13 de maio de 2015

A difícil tarefa de se comunicar através de textos, na atualidade

Você consegue se comunicar facilmente quando escreve? Não? Observo que às vezes surgem controvérsias e mal-entendidos que poderiam facilmente ser evitados. Acontece é que muitas pessoas estão em condições diversas no momento em que escrevem ou que tomam conhecimento de um assunto. Por outro lado podem ter opiniões exatamente contrárias, até mesmo exercendo radicalismo. É assim que funciona: se as pessoas forem plenamente favoráveis ao contexto nem leem direito, às vezes. Aprovam de imediato. Outras, por estarem racionalmente afetadas podem interpretar de maneira incorreta. É o que tenho visto muito acontecer nas redes sociais.

Conceitos x conceitos

Em meu entendimento uma regra básica é a do respeito aos conceitos dos outros, mesmo que esses sejam completamente contrários ao que você pensa. Todo mundo tem o direito de se expressar, da forma que suas condições de observação e discernimento permitem. Uns mais, outros menos. A impessoalidade nos comentários muitas vezes não é notada e um leitor pode interpretar um comentário genérico e puxar para a esfera pessoal por se sentir incomodado. Isso ocorre com frequência. Mas o importante é que todos participem e aprendam, no dia a dia, a superar tais ocorrências.

A linguagem utilizada em público, exposta, por exemplo, através de uma rede social, deve ser no mínimo bem pensada. Muitas vezes você faz uma colocação que atende aos requisitos básicos, do respeito, educação. Mesmo assim ela pode ser interpretada como uma agressão, um erro descabido, por parte de um leitor que não concorde com sua ideia. E aí, fazer o que?

Uma atitude sensata:  

Penso que a primeira regra de conduta, quando se lê algum assunto que não concorda é ler e apenas seguir em frente. Esta seria a primeira alternativa. Em segundo lugar, caso você se sinta ofendido, desacatado ou mesmo tenha seu nome mencionado, deve escrever diretamente para o autor e perguntar se há algum problema com você, dizendo simplesmente o que sentiu e  evitando assim de expor ao público em geral sua queixa ou discordância, uma vez que ela pode ser até desnecessária. Se achar por bem, solicite que o autor retire seu nome do comentário, simplesmente para não se envolver de forma pessoal em um assunto desnecessariamente.

A atitude simples e educada na redação será apreciada sempre por todos. Mesmo que você comente sobre um tema sensível, como política, religião ou futebol (que são os mais complicados) tenha seus posicionamentos delineados para não atingir a dignidade de ninguém.

Caso se depare com um leitor radical e que esteja rebatendo um conceito seu, adianta responder uma primeira vez, pelo menos. E demonstrar através de fatos ou situações sua posição. Temos que estar atentos ainda para os contestadores de plantão, aqueles que discordam de tudo, sem o mínimo embasamento.

Eventuais dificuldades na comunicação entre as pessoas

Enfim, a comunicação entre as pessoas é bastante sensível. Resolvi adotar um acréscimo em meus comentários, no sentido de incluir algo como “no meu entendimento”, aquilo que você escreveu. Assim procedendo dará margem de imediato a que os outros saibam que podem ter um entendimento diferente. E que isso é perfeitamente normal. A prática e a observância das conversações, a leitura, o entendimento, a procura de melhorar a escrita e de exprimir adequadamente suas ideias são fatores muito importantes para o desenvolvimento.

Trate bem, para ser bem tratado

Em síntese, seja educado, cortês e procure, na medida do possível, utilizar um vocabulário adequado ao tema, além de caprichar no português. Nada mais desagradável do que se ler um texto completamente recheado de erros ortográficos. Procure nunca desabafar sua carga emocional em cima de seus amigos porque senão você irá perdê-los e conseguirá, apenas, formar uma imagem negativa se si mesmo.

  
Veja também nas redes sociais:



Nenhum comentário:

Postar um comentário